segunda-feira, 16 de novembro de 2009

No amorzinho...



Quem nunca trabalhou de graça nessa vida? Como diria o espirituoso Pedro Kirilos, a sessão de fotos de ontem foi feita "no amorzinho". Acontece que esse amorzinho, bem diferente do Sazon que a vovó põe na comida, o amorzinho ao qual me refiro, serve de porta de entrada para novos mercados. Na caixa da câmera faltam alguns acessórios, facilitariam a nossa vida. A câmera ideal, deveria já vir com um assistente inflável, isso mesmo, do tipo só encher de ar e pronto, ele vai preparar o flash, carregar tripés e segurar o rebatedor na direção certa, também deveria vir com uma credencial amarela, escrito bem grande, em letras maísculas FOTOGRAFO, nas cameras mais caras a credencial teria FOTOGRAFO PROFISSIONAL - ACESSO LIVRE, e com ela, nenhum segurança ou vigilante te barraria ou te incomodaria durante umas fotos e qualquer pessoa ao ver a credencial aceitaria posar para suas idéias malucas (tipo dar um salto no alto do viaduto Santa Tereza, quem topa fazer isso?). Como a câmera só vem com o passe mágico da fotografia, o jeito é fazer vários trabalhos "no amorzinho" não só para ganhar referência, mas como para ganhar experiência e portfólio. O portfólio mostra o que você é capaz de produzir, então se o seu papo é mais recheado do que suas fotos, tá na hora de spread the love, como dizem os americanos, isso mesmo, filosofia hippie na fotografia, let it be love! Através do Vítor Rocha, conheci a estudante de mohttp://www.blogger.com/img/blank.gifda Natália Araújo, que precisava de alguém para fotografar o seu trabalho de final de semestre. Após algumas reuniões e uma caça ao local das fotos fizemos a sessão ontem. Mesmo com o calor infernal e alguns imprevistos (impressindíveis para qualquer ensaio) o resultado foi ótimo. O ilustre fotógrafo Carlos Hauck apareceu de última hora para ser meu assistente, e potz, um assistente que entende bem de fotografia pode salvar a sua pele em alguns momentos em que você tem algumas idéias fracas. O look do ensaio foi inspirado na Nozdriov do versátil e quase multi-polar artista russo Marc Chagall.














Equipe

2 comentários:

natalia disse...

Bruno, eu não tenho nem palavras pra agradecer o que você fez por mim! As fotos ficaram lindas, e quanto mais eu olho pra elas, mais eu gosto! Todo o nosso esforço, a correria, a loucura dos imprevitos e as reuniões de trabalho valeram a pena!

Mais uma vez, muitíssimo obrigada!
Beijos, Nat.

Hamaliha! disse...

Bruno, mandou bem!! Vc é fera! O " amorzinho " faz bem pra saúde rsrs

valeu aí!!!